Exposição "Ídolos - Olhares Milenares" inaugurada hoje no Museu Nacional de Arqueologia

Entrevista com o diretor do Museu Nacional de Arqueologia © Fornecido por Lusa Entrevista com o diretor do Museu Nacional de Arqueologia

Lisboa, 09 abr 2021 (Lusa) - A exposição "Ídolos - Olhares Milenares" é inaugurada hoje no Museu Nacional de Arqueologia (MNA), em Lisboa, abrindo ao público no sábado até 17 de outubro.

Trata-se de uma exposição sobre vivências na Pré-História, na Península Ibérica, com peças nunca antes expostas em Portugal, nomeadamente de 16 museus espanhóis e de um colecionador particular.

A exposição, que será inaugurada na presença da ministra da Cultura, Graça Fonseca, e do homólogo espanhol, José Manuel Rodríguez Uribes, reúne peças nacionais provenientes de sítios arqueológicos localizados em 35 concelhos e pertencentes a 11 instituições portuguesas.

O diretor do MNA, António Carvalho, salientou à agência Lusa esta cooperação institucional, que afirma o museu como "um espaço de referência da arqueologia portuguesa".

Segundo Carvalho, a exposição é também "uma reflexão sobre os últimos 130 anos de história da Arqueologia ibérica, neste domínio", destacando-se os investigadores José Leite de Vasconcellos (1858-1941), autor de, entre outras obras, "Religiões da Lusitânia", três volumes publicados entre 1897 e 1913, e o belga Luís Siret (1860-1934), autor de "Les Réligions Neólithiques de l'Ibérie" (1908).

A exposição esteve já patente no Museu Arqueológico de Alicante, em Espanha, no início do ano passado, e, até ao passado mês de janeiro, no Museu Arqueológico Regional de Madrid, em Alcalá de Henares, sendo comissários científicos da mostra Jorge A. Soler e Primitiva Bueno Ramírez.

Para o MNA, no Mosteiro dos Jerónimos, a exposição foi reprogramada e a montagem repensada, tendo em conta o espaço histórico onde vai estar patente, como disse à Lusa o responsável pela museografia, o arquiteto alicantino Ángel Rocamora Ruiz.

Rocamora Ruiz explicou à Lusa que procurou um "diálogo" entre as peças pré-históricas e a arquitetura dos tetos do antigo mosteiro.

António Carvalho, por seu turno, realçou que a ideia é "apresentar uma exposição muito pedagógica".

A exposição abre com um vídeo sobre o período pré-histórico, na Península Ibérica.

Respeitando as regras sanitárias, haverá objetos disponíveis para serem manuseados pelos visitantes.

Aos sábados e domingos a mostra encerra às 13:00. "Ídolos- Olhares Milenares" marca a reabertura do MNA de acordo com o "plano de desconfinamento" anunciado pelo Governo.

NL // TDI

Lusa/Fim

Exposição "Ídolos - Olhares Milenares" inaugurada hoje no Museu Nacional de Arqueologia